Total de visualizações de página

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

CÉREBRO APRENDIZ

Viver é incrível, e se eu pudesse definir a vida em uma palavra, ela seria: aventura. É luta? É. Mas nem todo o tempo. Cicatrizes? Sim, mas a gente esquece. Aventura soa infantil, mas como tenho um lado infantil enorme - dizem alguns, com um muxoxo - as dificuldades ficam para trás como obstáculos que já pulei. E eu me sinto feliz! "Os pensamentos positivos são capazes de ligar os centros de prazer do cérebro da mesma maneira que a presença da pessoa amada ou de uma taça de vinho." Caraca, Waldyr! 
"É melhor ser alegre que ser triste!", já dizia o poeta. 
Esta observação vem junto com um troço que li hoje de madrugada sobre a neuroplasticidade, a regeneração neuronal do cérebro, mesmo que a pessoa tenha nascido com metade dele. Pois como exemplo, uma atitude que tenho, desde que fiquei velha (não me falem em 3a. idade, esse eufemismo ridículo!) exercito meu cérebro para que não fique muito caída quando for centenária. Exercito lendo literatura (não jornais, que não servem pra isso), escrevendo e sendo cada vez mais honesta comigo mesma.
Quando li ontem a nova matéria no jornal virtual do Saturnino Braga, o melhor escritor brasileiro vivo, (só perde pro Mestre Guimas) fiquei emocionada, pois ele se expôs: contou uma aventura que teve no aeroporto de arrepiar os cabelos - e foi melhor que tudo o que escreveu sobre política! 
E outro exemplo que me emocionou, foi no post do meu amigo virtual Guilherme de Faria: 
Se estivermos falando de nós mesmos com imensa sinceridade, às raias do patético, poderemos alcançar uma verdadeira poesia. Afinal, quem mais realmente conhecemos, quem mais nos oferece sua face no espelho todos os dias? Que dor maior de viver conhecemos?

"Imensa sinceridade". Isso tem que aparecer na nossa escrita, senão ela será pífia, falsa e o leitor saberá.

"Somos o que pensamos ser". É isso. Cuidar do cérebro, e cuido dele que nem uma criança que não sabe para onde vai. Eu faço a cabeça dele!

E, meus amigos, escrevi esse texto pensando que poderia dar uma força a alguém. Soa idiota, mas no fim do ano a gente fica mais sensível, olha pra trás e pensa no caminho que temos pela frente. E  eu vou percorrê-lo na minha Harley-Davidson, com um namorado doido que nem eu pela vida, puxando o meu trailer cheio de livros! 

Bye! Beijos apaixonados, amorosos, corajosos.

Monique


PS. "Correio Saturnino, artigo n°191/2011".
PS do Ps: Revista Veja, a última, edição 2248, pag. 98.





11 comentários:

  1. OI Mônica, estou sempre reclamando que não tenho tempo, não tenho tempo... chega.
    O ano está chegando ao fim e é preciso mudar um pouco. Resolvi tirar um tempo para ler a postagem da minha querida mimiga.
    Adorei seu texto. É daqueles que eu leio e penso: eu gostraria de ter escrito isso. Ou: parece até que fui eu quem escrevi.
    Me fez muito bem te ler essa manhã.
    Seu beijo corajoso pegou em mim :)
    Gostaria de ler também os textos que você sugeriu, mas parece que não estão disponíveis na internet ou eu não consegui encontrar.

    Beijos animados, alegres, quase natalinos.

    ResponderExcluir
  2. OI, minha amiga mais que querida!
    Prazer tenho eu, em receber seu comentário!
    O texto do Saturnino, posso mandar pelo email pra você, merece a leitura! Ele mostra como anda o país nesta época do ano, falência e descaso generalizados.
    Os livros dele estão em livrarias, e ele escreve de um modo que emociona, o que é difícil de alcançar hoje em dia.
    O Guilherme de Faria é um pintor e escritor que conheci no Face, peça permissão a ele para entrar, você vai ficar encantada!

    Vamos nos ver no começo do ano? Tomar um vinho na serra?
    Um beijo encantado, sua aparição aqui me fez um bem enorme.

    Monique

    ResponderExcluir
  3. Seu cérebro está tinindo, posso ver daqui... ;)

    Espero acessar o texto do Saturnino (também sou fã dele, deve ser o político que mais admiro entre os que ainda nos cercam).

    Beijão!

    ResponderExcluir
  4. Minha querida amiga! Que saudade!
    É sempre bom ler uma palavrinha sua, isso mostra que mesmo longe, estamos pertinho poraqui!
    Vou te mandar o Correio Saturnino, pois o último ainda não está no ar, eu recebo o dele pelo email.
    Vou dizer a ele que você é fã dele. Ele é um dos homens mais doces que já conheci. Sabe quando um homem te encanta? Ele é assim. E se você visse como ele trata a mulher, você ficaria mais encantada ainda.

    Obrigada, querida! Boas festas a você.

    Mil beijos,
    Monique

    ResponderExcluir
  5. Caraca Mônica, muito bom o relato/conto de Saturnino. Impossível não rir. Claro que seria melhor que fosse ficção...
    Beijos e obrigada!

    ResponderExcluir
  6. Combinado. Inicio do ano.
    E já fui lá no Face e pedi ao moço pra ser meu amigo por lá. Besos!

    ResponderExcluir
  7. QUÁ! QUÁ! QUÁ! Só rindo mesmo, com você, santa. Isso, fique amiga do "moço", ele pinta e escreve coisas lindas, você vai gostar.
    Vamos nos falar pelo Natal, visse?
    beijos, sempre doces pra você,
    Monique

    ResponderExcluir
  8. AMIGA ESTOU TORCENDO PARA QUE PUBLIQUE SEU LIVRO!!! NEM SEI DO QUE SE TRATA,MAS JA GOSTO!!!! BJSSSS DRIKA

    ResponderExcluir
  9. Olá,Monique!

    Também fiquei lhe devendo a leitura de uns 2 ou 3 posts anteriores. Agora, mesmo sendo mais de 1:30 h da madrugada, vi-me compelida a essa visita e leitura. Muito bom para fechar o meu dia! Adorei tudo, principalmente saber que você, mesmo "velha", tem eterno espírito de menina travessa. Adorei a última imagem sua: andando de Harley-Davidson na garupa de um namorado bem doido (ou vice-versa?), puxando um trailer de livros. Que Deus assim a conserve, minha amiga!

    Beijos carinhosos e Boas Festas! Que venha 2012, para que a encaremos de frente, com muita coragem!

    ResponderExcluir
  10. A sinceridade conosco mesmos... Esse foi o que mais me chamou atenção no seu texto, pois vem de encontro com minha busca: ser verdadeira, ser eu!
    É isso ai!!!

    Beijos 100000000

    ResponderExcluir
  11. Que delícia é acordar e ler os posts das minhas queridas amigas, muito obrigada!
    Denise, ser honesta consigo mesma é uma eterna luta, diária, pois às vezes podemos mascará-la por medo, por necessidade, por ambição, etc. Mas ser honesta implica em desenvolver uma elegância para não machucar os outros, pois as pessoas estão muito magoadas. Mas continue, te garanto que vale a pena.
    Drika, você tem sido uma pessoa tão querida! Sempre carinhosa, me dando força e me incentivando, e além disso, fazemos aniversário dia 30, juntas! Isso é uma alegria para mim, poder ser parecida um pouquinho com você.
    E Kyanja, é um prazer enorme ter você aqui. Suas palavras são muito importantes pra mim, (pois temos a mesma profissão inclusive)e eu sei o que estou escrevendo, p. ex., quero um texto breve, sem muitas explicações teóricas, com o meu exemplo que é único. Você pega o espírito da coisa, e me dá um retorno excelente.

    Obrigada a todas vocês, foram amigas delicadas em me deixar seus comentários.
    Um Feliz Ano Novo,

    Monique, cheia de beijos!

    ResponderExcluir