Total de visualizações de página

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

UMA VEZ, UM LIVRO

Em cada fase da minha vida houve, há e haverá um livro ou vários a interagir comigo. O certo é que todos a marcaram em um momento. Escrever sobre eles é como contar sobre a minha vida também, sem eles eu viveria como se flutuasse no vazio - não perdida, mas sem substância.
Comecei, também, a escrever meu livro na semana passada, já tem mais ou menos umas 80 páginas. O processo de escrever é longo, há dez anos eu o comecei. Mas escrever, escrevo desde os 12 anos, e aos 14 comecei com os diários.
Tenho escrito de madrugada, acordo sempre à mesma hora e já pego um caderno e uma caneta que estão à minha espera. Escrevo o que tenho que escrever, como se tudo estivesse pronto em minha cabeça. Não adianta eu me forçar a dormir: não durmo. Tenho que obedecer ao chamado. E não fico cansada. Simplesmente é a hora em que tem que ser. 
O fato é que de madrugada não me distraio tanto com o computador, a música, a geladeira ou o céu visto da janela. Sou eu e os pensamentos que vêm de dentro. Eles não me pedem licença, é a hora em que querem sair: eu apenas obedeço.
Há dias em que estou mais engraçada, solta, e a escrita vem mais leve, eu escrevo rindo. Há outros, contudo, submersos e eu os rumino mais profundamente.
Um livro que me ajudou nesta fase foi "O efeito da sombra", do Deepak Chopra, que não tem nada a ver com literatura. Mas com ele passei a fazer as pazes com o meu lado de sombra, escondido desde criança. Abri as janelas e portas trancadas e deixei o sol entrar. E desde então, começaram a acontecer estas coisas: trabalho, livro, blog. Isto é bom, como uma sincronicidade.
Com a morte do Jobs, quando li "faça o que você gosta de fazer, mesmo que todos sejam contra" - aceitei o fato e comecei o livro. Na hora certa.
Passei por mais de 30 cursos e oficinas de literatura e afins. Li avidamente, escrevi avidamente, tentei vários estilos, ouvi conselhos e críticas, segui tendências, métodos. Parei. Fiquei dois anos sem escrever, fui ao fundo do poço, mas voltei. 
Escolhi esta grande Terra como tema para o blog, a nossa casa. 
Sejam todos bem-vindos!